Portal do Governo Brasileiro

O que é o TELELAB?

O TELELAB é um programa de educação continuada, do Ministério da Saúde, que disponibiliza CURSOS GRATUITOS, cujo público alvo são os profissionais da área de Saúde.

Certificação

Nossos cursos são certificados pela Universidade Federal de Santa Catarina. Clique aqui para saber mais sobre o processo de certificação.

Área do Aluno

Quinta, 12 Abril 2018

Núcleo do RN participa do seminário da região Nordeste para o Projeto de Resposta Rápida à Sífilis

Avalie este item
(0 votos)

Seminário reuniu profissionais selecionados para atuar no projeto e gestores da região

O Rio Grande do Norte volta a sediar evento do Projeto Interfederativo Resposta Rápida à Sífilis nas Redes de Atenção. Nesta terça-feira (3) foi iniciado, em Natal, o seminário com Apoiadores da região Nordeste e gestores de saúde, com dois dias de atividades reunido os profissionais selecionados para os noves estados e gestores da região, apresentando plano de trabalho para a construção das programações no município em que cada um irá atuar para alavancar esta resposta rápida à sífilis.

No total, são 52 Apoiadores selecionados para o projeto em todo o país, os quais participaram   de uma capacitação que ocorreu no mês passado, em Natal, entre 19 a 23 de março. Ainda de acordo com a programação, outros dois seminários regionalizados serão realizados neste mês de abril; dias 12 e 13, em Brasília, com Apoiadores do Centro-Oeste, Norte e região Sul, e nos dias 26 e 27, em São Paulo, para os profissionais da região Sudeste.

 “Os seminários traçam um plano de trabalho do que será planejado para o território no qual o profissional irá atuar para alavancar esta resposta rápida a sífilis”, disse a diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde, Adele Benzaken. Ela explica que a sífilis é uma doença mais fácil de ser impactada por conta de sua característica epidemiológica. “É fácil de diagnosticar, fácil de tratar e tem cura, além do que a transmissão após a primeira injeção de penicilina torna-se, praticamente, nula”, analisa e conclui ressaltando que “o processo está apenas começando e que todos somos caminhantes, andarilhos na saúde pública, no sentido de construir um projeto forte para impactar a sífilis no país”.

Para o chefe da Divisão de Gestão do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Rio Grade do Norte (NEMS/RN), Francisco Júnior Rego, este novo papel do Ministério da Saúde no território com sua área de apoio Institucional fortalece os instrumentos de Gestão em conjunto com Estado e municípios (COSEMS/RN), bem como as regiões de saúde, e monitorar as redes de atenção à saúde. Na oportunidade, o gestor deu às boas-vindas aos profissionais que participam do seminário, em Natal.

Representante do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Maranhão (NEMS/MA), a chefe da Seção de Apoio Institucional e Articulação Federativa (SEINSF), Rosana Lima Viana assinala que o projeto é importante para o fortalecimento das redes de atenção em relação à sífilis. “É fantástico um seminário que reúne gestores dos núcleos, gestores municipais, representantes dos conselhos de secretários municipais de saúde, além de técnicos da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), em Brasília”. A gestora acrescenta afirmando que “é fundamental este evento para que possamos estruturar melhor os serviços nos municípios em relação à doença”. No seu estado, ela relata que quatro municípios estão na lista de prioritários com maiores taxas de casos de sífilis acumulados nos anos, os municípios de Passo do Lumiar, São José de Ribamar, Timom e Raposa.

Os 52 Apoiadores irão trabalhar em 72 municípios brasileiros, dos 100 que inicialmente foram apontados, que acumulam 60% dos casos da doença, todos com mais de 100 mil habitantes, em 28 regiões de saúde no país. No primeiro dia do seminário foi apresentando um panorama da realidade de cada desses municípios prioritários.

“Este é um momento de conhecermos os outros colegas profissionais e que a partir deste panorama da sífilis apresentado, poderemos elencar as prioridades para colocar em prática o projeto”, pontua Chyrly Lidiane de Moura, 38, enfermeira sanitarista e obstétrica, Apoiadora do projeto de pesquisa de resposta fácil à sífilis que atuará em Natal. No estado o outro Apoiador ficará no município de Parnamirim.

Sofia Santos, 55, é sanitarista e terapeuta ocupacional, Apoiadora do projeto em Salvador, que diz a cidade ter taxa considerada alta. Sua expectativa em relação ao seu trabalho “é de fortalecer a vigilância epidemiológica da sífilis e, consequentemente, a rede de atenção no que se refere ao diagnóstico e assistência com ênfase no acompanhamento do pré-natal, prevenindo a transmissão vertical da doença, reduzindo os casos de sífilis congênita”. Ela resume afirmando que “tem esperança de que se possa integrar assistência, vigilância epidemiológica e buscar essa redução do agravo no município, criando estratégias de fortalecimento dessas redes”. O outro município prioritário é Camaçari. Três Apoiadores atuarão na Bahia.

 O Ministério da Saúde, em parceria com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) vinculado ao Hospital Universitário Onofre Lopes, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), promoveu o processo seletivo dos profissionais de saúde para o trabalho de apoiadores de pesquisa e intervenção no Projeto Integração Inteligente Aplicada ao Fortalecimento da Rede de Resposta Rápida à Sífilis.

O Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Rio Grade do Norte também esteve representado pela gestora da Seção de Apoio Institucional e Articulação Federativa (SEINSF), Fabiana Figueiredo, que se faz presente durante toda a programação do evento.

Foram convidados para a  mesa das autoridades, o pró-reitor de Planejamento da UFRN, João Emanuel Evangelista; a diretora do DIAHV Adele Benzaken; o gestor do NEMS/RN, Francisco Júnior Rego; o diretor do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde, Ricardo Valetim; o coordenador do programa estadual de DST/Aids e Hepatites Virais, Sérgio Cabral, a representante da Sesap-RN), a secretária Adjunta de Ação Integral à Saúde do município Natal, Genilce Almeida; o representante do Conselho Nacional de Saúde, Luiz Carlos Medeiros; e a segunda vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems/RN), Dalva Bezerra da Silva.

Fonte: http://www.aids.gov.br/pt-br/noticias/nucleo-do-rn-participa-do-seminario-da-regiao-nordeste-para-o-projeto-de-resposta-rapida