Portal do Governo Brasileiro

O que é o TELELAB?

O TELELAB é um programa de educação continuada, do Ministério da Saúde, que disponibiliza CURSOS GRATUITOS, cujo público alvo são os profissionais da área de Saúde.

Certificação

Nossos cursos são certificados pela Universidade Federal de Santa Catarina. Clique aqui para saber mais sobre o processo de certificação.

Área do Aluno

Segunda, 03 Setembro 2018 13:46

DIAHV irá realizar pesquisa nacional e revisar publicação com diretrizes clínicas para o HTLV

Avalie este item
(0 votos)

Propostas foram discutidas durante videoconferência realizada com sociedade civil, pesquisadores e gestores

Como parte da programação do 24º Simpósio Internacional sobre HTLV no Brasil, que aconteceu em Belém do Pará,  foi realizada nesta terça-feira (27) uma videoconferência entre o Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) e representantes da Associação dos Portadores do Vírus HTLV – Grupo Vitamóre, das coordenações de IST, HIV/Aids e Hepatites Virais, portadores do vírus, profissionais de saúde e pesquisadores nos estados de Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Na pauta as barreias e os caminhos para melhorar o diagnóstico e implantar linha de cuidado para tratamento das pessoas com HTLV.

Entre as propostas discutidas durante a videoconferência, a criação de um comitê técnico para revisar o Guia de Manejo Clínico da Infecção pelo HTLV, lançado em 2013, e transformá-lo em Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT). O comitê será composto porexperts, representantes de sociedades médicas, profissionais de saúde, gestores e organizações da sociedade civil que representam os portadores de HTLV.  Depois de revisado o documento será disponibilização para consulta pública da sociedade.

Além disso, o DIAHV informou que será realizada, em parceria com o Hospital Moinho de Ventos, uma pesquisa nacional para levantar a prevalência do HTLV entre as parturientes. Atualmente os estudos de prevalência disponíveis sobre o agravo são de abrangência regional.  

“O SUS tem uma dívida histórica com os pacientes de HTLV e a nossa proposta é construir em conjunto as soluções para avançarmos. O primeiro passo é conhecer a prevalência do HTLV e, a partir disso, poderemos dimensionar essa demanda de saúde pública, o que inclui as necessidades de aquisição de exames diagnóstico confirmatório, por exemplo ”, reforçou a diretora do DIAHV, Adele Benzaken, durante a videoconferência.

A presidente do Grupo Vitamóre, Sandra do Valle, destacou a necessidade de melhorar o diagnóstico, por meio de exames confirmatórios, busca ativa e investigação de casos entre parcerias sexuais e familiares, já que o HTLV também é transmitido durante o parto e a amamentação. “Ainda há muitos os erros de diagnóstico do HTLV, muitos profissionais de saúde não conhecem o agravo ou o confundem com o HIV, temos poucos centros e profissionais de referência para HTLV”, lembrou.

INICIATIVAS ESTADUAIS- Embora ainda não haja uma rede estruturada em todo país para diagnóstico e tratamento para o HTLV, muitos estados já desenvolvem iniciativas regionais de estruturação da rede de atenção para o agravo. A exemplo do Mato Grosso do Sul, que estabeleceu a notificação obrigatória do HTLV no estado e, a partir de teste positivos identificados nos exames de triagem no hemocentro, encaminha as pessoas com sorologia positiva para HTLV para realizar exame confirmatório no Laboratório Central do Estado (Lacen).

Fonte: http://www.aids.gov.br/pt-br/noticias/diahv-ira-realizar-pesquisa-nacional-e-revisar-publicacao-com-diretrizes-clinicas-para-o

“Com a confirmação do diagnóstico, fazemos busca ativa dos familiares. Além disso também implantamos uma linha de cuidado para a gestante para prevenir a transmissão vertical e oferecemos fórmulas lácteas às mulheres com HTLV que estão amamentando”, explicou a gerente técnica de HIV Programa Municipal de IST/Aids e Hepatite Virais de Campo Grande, Sheila Zalek.

Além de Mato Grosso do Sul, outras unidades da federação como Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e São Paulo também já tem implementado iniciativas locais para ampliação do acesso a prevenção, diagnóstico e tratamento do HTLV.

SOBRE O HTLV– Causado por um vírus que atinge as células de defesa do organismo, assim com o HIV, o HTLV é uma infecção sexualmente transmissível (IST) e pode ocasionar algumas doenças associadas como leucemia, linfoma e doenças neurológicas. O tratamento é direcionado de acordo com a doença relacionada. Como medida de prevenção é recomendado o uso de preservativo masculino ou feminino em todas as relações sexuais, e o não compartilhamento de seringas, agulhas ou outro objeto cortante. Da mesma forma, a amamentação está contraindicada, recomendando-se o uso de inibidores de lactação e de fórmulas lácteas infantis.